noticia
13/12/2017 - 22:36
Tamanho da Fonte
 
 
Noiva de vereador tem guarda da filha suspensa após suposto abuso em MT Chico 2000 é suspeito de ter abusado sexualmente de menina de 11 anos. Criança
O vereador Chico 2000 (PR), primeiro secretário da Câmara de Cuiabá. (Foto: Luiz Alves/Câmara de Cuiabá) O vereador Chico 2000 (PR), suspeito de estupro de vulnerável (Foto: Luiz Alves/Câmara de Cuiabá) A noiva do vereador por Cuiabá Francisco Carlos Amorim Silveira, o Chico 2000 (PR), teve a guarda da filha de 11 anos suspensa pela Justiça de Mato Grosso após a criança ter sido supostamente abusada pelo parlamentar, em outubro deste ano. A informação foi confirmada pelo advogado do vereador, Hélio Passadore.

Chico 2000 teve o mandado de prisão temporária decretado no último domingo (4) e se entregou à Polícia Civil na tarde de terça-feira (6). O vereador se encontra detido no Centro de Custódia de Cuiabá. De acordo com a defesa do parlamentar, Chico 2000 está tranquilo e disse que irá provar a sua inocência no processo. A defesa informou, ainda, que já entrou com pedido de revogação da prisão do vereador.

Conforme o advogado, a noiva do parlamentar perdeu provisoriamente a guarda da filha diante da denúncia de abuso feita pelo pai da criança na Delegacia Especializada de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Deddica) e a menina já está morando com o pai, em Canarana, a 838 km da capital. A mulher havia conseguido a guarda da filha há dois anos, na Justiça.

Suposto abuso
De acordo com o delegado que investiga o caso, Eduardo Botelho, a menina confirmou o crime durante depoimento à equipe multidisciplinar da Deddica. Ainda segundo a polícia, o vereador teria cometido o crime em outubro deste ano, durante uma festa na casa em que a menina morava com a família, em Cuiabá. A investigação corre sob sigilo.

A defesa do parlamentar, porém, alega que Chico 2000 e a noiva moram em casas separadas na capital. De acordo com o advogado, a mãe da criança também disse desconhecer qualquer situação de abuso da filha por parte do noivo.

A Polícia Civil investiga, ainda, uma denúncia anônima de que o vereador teria cometido o mesmo crime contra outras meninas, segundo Botelho. Cinco pessoas já foram ouvidas e outras ainda deverão ser chamadas para depor, informou o delegado. Chico 2000 ainda não foi ouvido formalmente pela polícia e não há data prevista, ainda, para que isso aconteça.

Reeleito neste ano, o vereador está em seu segundo mandato e foi suplente no legislativo municipal por duas vezes. Chico 2000 ocupa, atualmente, o cargo de 1º secretário da Câmara Municipal de Cuiabá. Na semana que vem, a Comissão de Ética deve se reunir para decidir se vai tomar providências sobre o caso.




     

 
» Últimas Notícias
31/08/2017 - Janaina Riva diz que tem “exemplo em casa” e defende que alguns delatados por Silval podem ser inocentes - A deputada estadual Janaina Riva (PMDB), amiga próxima de muitos dos políticos delatados por Silval Barbosa (PMDB), ponderou que algumas “pessoas” tiveram seus nomes estampados na delação premiada do ex-governador
31/08/2017 - Riva planejou assassinato em falso atentado para incriminar Silval, Maluf, Fabris e Savi, diz irmão de Silval - Em delação premiada, o irmão do ex-governador Silval, Antônio Barbosa, releva simulação de atentado que teria sido planejada pelo ex-deputado José Geraldo Riva contra si mesmo. O objetivo seria incriminar os deputados Guilherme Maluf,
31/08/2017 - Silval montou esquema para extorquir construtora e pagar dívida de Maggi com Piran - Silvio Cezar Correa Araujo, ex-chefe de gabinete do governador Silval Barbosa, confessou em sua delação premiada recentemente homologada pelo Supremo Tribunal Federal que um esquema foi armado em 2012 para cobrar propina da Construtora Apui. Cerca de R$ 1 milhão retornou aos bolsos do antigo chefe do Poder Executivo.