noticia
21/10/2017 - 10:13
Tamanho da Fonte
 
 
Janaina Riva diz que tem “exemplo em casa” e defende que alguns delatados por Silval podem ser inocentes

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Janaina Riva diz que tem “exemplo em casa” e defende que alguns delatados por Silval podem ser inocentes
A deputada estadual Janaina Riva (PMDB), amiga próxima de muitos dos políticos delatados por Silval Barbosa (PMDB), ponderou que algumas “pessoas” tiveram seus nomes estampados na delação premiada do ex-governador sem que fossem culpadas. A deputada afirmou, ainda, que somente seus colegas parlamentares envolvidos no esquema podem justificar o ocorrido, relembrando que nunca defendeu seu pai, o ex-deputado José Riva, pelos crimes por ele cometidos.

Leia mais:
Construção da ALMT serviu para desviar recursos, comprar deputados e pagar factoring, revela Silval

“É estarrecedor para a população uma delação dessa magnitude, é estarrecedor para todos nós. E eu acredito que o que aconteceu, não tenha dúvidas, tem pessoas ali citadas que devem ter um porquê de serem citadas e tem pessoas que estão ali sem culpa”, disse a deputada, durante a sessão plenária vespertina desta quarta-feira (30).

“Mas eu acho que isso deve ser deixado para a individualidade, principalmente de cada parlamentar. Eu tiro pela minha casa, porque eu não posso falar do meu vizinho, mas do meu quintal sou eu quem cuido”, acrescentou Janaina, que memorou a época em que seu pai foi preso e que, segundo ela, precisou ouvir calada o chamarem de “bandido”.

O pai da deputada, que já foi preso e condenado na Operação Arca de Noé, também apareceu na delação de Silval Barbosa. Riva teria, segundo o ex-governador, participado de diversos esquemas ilegais de corrupção, entre eles a compra de deputados para garantir a formação da mesa diretora da Assembleia Legislativa de Mato Grosso em 2002.

Com relação a Arca de Noé, constam nos autos da ação penal que José Riva, o ex-bicheiro João Arcanjo Ribeiro, Humberto Bosaipo, Guilherme da Costa Garcia, Varney Figueiredo Lima, Luis de Godoy, Nivaldo Araújo, Geraldo Lauro, José Quirino Pereira, Joel Quirino Pereira e Nilson Roberto Teixeira praticaram os crimes de peculato e lavagem de dinheiro.

Além de ter o pai citado, Janaina também é amiga intima do prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (PMDB), que apareceu em um vídeo recebendo dinheiro vivo no gabinete de Silvio Cesar Corrêa, que seria referente ao “mensalinho” pago por Silval a deputados estaduais.

Logo após a divulgação das imagens, a deputada se posicionou em suas redes sociais, dizendo que Emanuel é grandinho para responder pelos seus atos.

“Eu votei, trabalhei e apoiei Emanuel, por acreditar que ele era o melhor nome para ser prefeito de Cuiabá. Sou amiga dele e da família dele como sou filha do Riva e da mesma forma encaro tudo isso, eles têm CPF e RG e são grandinhos para responderem por eles”, escreveu na publicação.

Fonte: http://olhardireto.com.br/noticias/exibir.asp?id=437799¬icia=janaina-riva-diz-que-tem-exemplo-em-casa-e-que-alguns-delatados-podem-ser-inocentes

     

 
» Últimas Notícias
31/08/2017 - Janaina Riva diz que tem “exemplo em casa” e defende que alguns delatados por Silval podem ser inocentes - A deputada estadual Janaina Riva (PMDB), amiga próxima de muitos dos políticos delatados por Silval Barbosa (PMDB), ponderou que algumas “pessoas” tiveram seus nomes estampados na delação premiada do ex-governador
31/08/2017 - Riva planejou assassinato em falso atentado para incriminar Silval, Maluf, Fabris e Savi, diz irmão de Silval - Em delação premiada, o irmão do ex-governador Silval, Antônio Barbosa, releva simulação de atentado que teria sido planejada pelo ex-deputado José Geraldo Riva contra si mesmo. O objetivo seria incriminar os deputados Guilherme Maluf,
31/08/2017 - Silval montou esquema para extorquir construtora e pagar dívida de Maggi com Piran - Silvio Cezar Correa Araujo, ex-chefe de gabinete do governador Silval Barbosa, confessou em sua delação premiada recentemente homologada pelo Supremo Tribunal Federal que um esquema foi armado em 2012 para cobrar propina da Construtora Apui. Cerca de R$ 1 milhão retornou aos bolsos do antigo chefe do Poder Executivo.