noticia
20/01/2018 - 05:20
Tamanho da Fonte
 
 
Funcionário da Energisa é vítima de cárcere privado ao entrar em residência para cortar energia

Foto: Ilustração

Funcionário da Energisa é vítima de cárcere privado ao entrar em residência para cortar energia
Um funcionário da Energisa, identificado como E.B.R.C., de 29 anos, foi vítima de cárcere privado nesta quinta-feira (4), ao entrar na residência de um morador de 38 anos, identificado como M.F.C., para cortar o fornecimento de energia elétrica, no Bairro Boa Esperança em Cuiabá. O caso foi breve, mas a polícia foi acionada.

Leia mais:
Funcionário da Energisa é assassinado ao religar energia de acusado
 
De acordo com informações do boletim de ocorrências, por volta das 16h45 desta quinta-feira, uma equipe da PM foi acionada para atender um caso de cárcere privado. Ao chegar ao local, os policiais encontraram a vítima que disse que trabalha na Energisa. O funcionário contou que foi até a casa do suspeito para fazer a suspensão do fornecimento de energia por falta de pagamento.

Para fazer o corte a vítima teve que entrar na residência do suspeito e depois de suspender o fornecimento, o dono da casa trancou o portão, o impedindo de ir embora. No entanto, após 25 minutos o homem deixou a vítima sair.

O suspeito disse à polícia que todas as contas estão pagas e que teria entrado em casa para pegar a fatura e mostrar para o funcionário da empresa de energia, porém, assim que entrou na residência a energia foi cortada pela vítima.

Ele confirmou que trancou o portão para impedir a saída do funcionário. Os dois foram encaminhados para a Central de Flagrantes, sem ferimentos, para que fosse registrada a ocorrência.

Funcionário assassinado

Em junho do ano passado Gilmar Francisco de Oliveira, funcionário da Energisa na cidade de Paranaíta (825 km de Cuiabá), foi assassinado a tiros quando fazia a religação de uma unidade consumidora em uma chácara no entorno da cidade. Tudo teria acontecido porque a empresa havia cortado a energia do acusado.

A vítima estava reativando o serviço. A Polícia Militar foi acionada e fez rondas pela região na tentativa de encontrar o suspeito, mas não obteve êxito.

Treinamento

Por meio de nota, a empresa afirmou que seus funcionários são treinados para que façam o melhor atendimento possível e ainda lembra que tratam-se de trabalhadores que cumprem ordens de serviço. Leia a nota abaixo na íntegra:

A Energisa reforça aos clientes de Mato Grosso que os colaboradores da empresa estão a trabalho, cumprindo ordens de serviço, sem poder de decisão. Estes colaboradores trabalham debaixo de sol e chuva, para levar um serviço de melhor qualidade a todos. São homens e mulheres que possuem mãe, pai, maridos, esposas e filhos esperando que eles cheguem seguros em casa após o expediente.

Nossos colaboradores são treinados para fornecer um atendimento de qualidade e para estarem aptos a prestar esclarecimentos sobre os procedimentos, sempre de forma pacífica. Caso o cliente tenha alguma dúvida no momento da prestação de serviço, ele pode abordar os colaboradores para receber a orientação adequada à aquela situação.

Vale lembrar ainda que em caso de corte de energia, a empresa tem até 24h para realizar a religação, a partir do momento da abertura de solicitação para comprovação da quitação de dívidas.



     

 
» Últimas Notícias
06/01/2018 - Funcionário da Energisa é vítima de cárcere privado ao entrar em residência para cortar energia - De acordo com informações do boletim de ocorrências, por volta das 16h45 desta quinta-feira, uma equipe da PM foi acionada para atender um caso de cárcere privado.
06/01/2018 - Bombeiros procuram por homem que se jogou no Rio Vermelho após colidir veículo - De acordo com o 3° Batalhão do Corpo de Bombeiros, por volta das 05h30 deste sábado o motorista de um Fiat Uno teria feito uma ultrapassagem na ponte sobre o Rio Vermelho
06/01/2018 - Acusado de mandar matar personal continua foragido e delegada pede prorrogação de inquérito - “Nós estamos pedindo a prorrogação do prazo ao Judiciário. Continuamos trabalhando e espero terminar logo este caso.
06/01/2018 - Associação dos defensores vai ao Supremo pedir que Taques pague duodécimo atrasado - Os recursos correspondem às dotações orçamentárias da Defensoria Pública de Mato Grosso. O procedimento no Supremo, distribuído à ministra Rosa Weber